Roteiro pela Rota Romântica da Alemanha (com direito a oktoberfest em Munique)

A rota romântica alemã foi criada nos anos 1950 para fomentar o turismo na região da Baviera, principalmente nas pequenas cidades medievais parcialmente devastadas depois da Segunda Guerra Mundial. A idéia deu tão certo que hoje a Rota Romântica é um dos principais destinos turísticos do país.


A rota de 410 km começa na cidade de Würzburg, no centro do país, e passa por 28 cidades até chegar a Füssen, no sul, bem na divisa com a Áustria. No caminho, paisagens rurais, muito verde e a grande atração da rota: as cidadezinhas medievais com suas casinhas de arquitetura enxaimel.

É possível fazer a rota em dois, três ou até dez dias. Dá pra parar em todas as 28 cidades ou escolher apenas três, quatro ou cinco delas. Fica a gosto do freguês. Vai depender da sua disponibilidade de tempo e interesses. Eu, particularmente, achei que parar em muitas cidades seria ver mais do mesmo, então elegi quatro cidades principais para dormir e fiz a rota em quatro dias.

rota romântica-1-12 A estrada nos reserva boas fotos, mesmo com o carro em movimento
Na minha opinião, as cidades “imperdíveis” seriam Würzburg (tem várias atrações e é o início da rota); Rothenburg ob der Tauber (cidade amuralhada considerada a mais bonita da rota); Augsburg (pelo número de atrações e localização estratégica) e Füssen (final da rota, paisagens deslumbrantes e castelos de Neuschwanstein e Hohenschwangau). Mas outras cidades como Bad Mergentheim, Weikersheim, Dinkelsbühl e Nördlingen também são muito bem avaliadas pelos visitantes.

Como entrei e saí da Alemanha por Frankfurt, fiz um trecho da rota romântica descendo até Füssen. Na volta, saí da rota e incluí no meu roteiro as cidades de Munique e Nuremberg, voltando para Frankfurt pelas rodovias principais (autobahns).

Veja como foi nosso roteiro de nove dias pela região da baviera:

Dia 1 (Terça, 30/09) – Chegada em Frankfurt, check in em Würzburg

Chegamos em Frankfurt as 14:50. Depois dos procedimentos de aluguel do carro, pegamos a estrada para Würzburg, distante cerca de uma hora e meia. Chegamos em Wurzburg antes das 18h, fizemos o check in no hotel e saímos para aproveitar a noite.
Começamos a noite no Tacos Fuegos. Comemos linguine com gambas (massa com camarão); filé argentino com batatas; chicken wings e um cheeseburguer com batatas fritas. Para beber, cerveja pilsen.

chicken wings (1 de 1) Chicken Wings do Tacos Fuego
Andamos um pouco pela rua e paramos no Irish Pixie para tomar uma Guiness. Na volta para o hotel, paramos na Pizzaria Locanda para a última cerveja da noite. O restaurante fica à beira do rio Main, com uma bonita vista.

marienberg (1 de 1) Vista do Rio Main, com a Ponte Marienbruck e a Fortaleza Marienberg ao fundo
Dia 2 (Quarta, 01/10) – City Tour em Würzburg, noite em Rothenburg

Depois do café da manhã saímos para caminhar pelo centro. Todas as atrações do centro da cidade podem (devem) ser visitadas a pé. Começamos a caminhada pela Alte Mainbrucke, a bonita ponte de pedra que corta o rio Main.  A ponte, construída em 1476, tem entre suas atrações as 12 estátuas de santos e governantes. Dali se tem uma linda vista da Fortaleza Marienberg, no alto da colina.

wurzburg - alte mainbruck-1-5 Santo Kilian, apóstolo dos Francos
Seguimos pela avenida Domstrasse até a Catedral de Wurzburg. No trajeto, várias lojas, restaurantes, bares e supermercado. Aproveitamos que há lojas de celular próximo à igreja e compramos nossos chips.

wurzburg - alte mainbruck-1-13 caminhada curta até a Catedral, ao fundo
Continuamos andando pelo centro e fomos até o Residenz. O palácio, cuja construção iniciou-se em 1720, foi residência dos príncipes-bispos de Würzburg a partir de 1744. Devastado por um ataque aéreo na Segunda Guerra Mundial, foi restaurado entre os anos de 1945 e 1987 e tornou-se patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1981.

No interior do prédio destaca-se  a imensa escadaria do hall principal, sobre a qual fica um maravilhoso afresco, obra do veneziano Giovanni Battista Tiepolo. Dentre os quase 400 cômodos, impressionam a sala do imperador e a sala dos espelhos. O Residenz abre às 9h e a entrada custa 7,50 euros. Infelizmente, não é permitido fotografar lá dentro.

wurzburg - residenz-1-6 A bela arquitetura do Residenz
Voltando ao centro, próximo a MarktPlatz encontra-se a linda igreja MarienKapelle. Visitamos a igreja, comemos um cachorro quente com a famosa salsicha alemã na feirinha da praça e andamos bastante pelo centro. Na região tem várias lojas de artesanato e um centro de atendimento ao turista, além de boas lojas como Zara, H&M e Galeria KaufHof, famosa loja de departamentos alemã que vende de tudo.

wurzburg - marienkapelle-1 wurzburg - centro-1-18 Marienkapelle e Catedral de Würzburg, dois marcos da cidade
Depois, pegamos o carro e partimos em direção à Fortaleza Marienberg, contrução medieval que serviu de residência dos bispos até o século XVIII. A fortaleza é linda e tem uma vista fantástica da cidade. A entrada é gratuita e o estacionamento custou 3 euros.

wurzburg - fortaleza marienburg-1-2 Fortaleza Marienberg
wurzburg - fortaleza marienburg-1-4 Na entrada da fortaleza, esse cenário parece uma pintura
wurzburg - fortaleza marienburg-1-33 vista do alto da Fortaleza Marienberg
wurzburg - fortaleza marienburg-1-40 vista do alto da Fortaleza Marienberg
De lá pegamos a estrada para Rothenburg ob der Tauber. Queríamos ir pela rota romantica, mas o GPS nos mandou pra via principal. Para seguir pela rota romântica é preciso “enganar” o GPS, colocando não o destino final, mas a próxima cidade da rota romântica.

Chegamos em Rothenburg ao fim da tarde e de cara nos encantamos com a cidade. Entrando na parte amuralhada é como se estivéssemos num conto de fadas. Tudo muito bonito, casas em estilo enxaimel, ruelas de pedras, tudo no estilo medieval. As vitrines das lojas de guloseimas são de encher os olhos.

rothenburg - noite-1-7 vitrine de uma loja de artesanato em Rothenburg ob der Tauber
Saímos para jantar no Alter Keller. O jantar foi fenomenal: joelho de porco, rosbife ao molho de cerveja, batatas, sobremesas e muita cerveja. Tudo saiu por 80 euros. Os pratos alemães são muito saborosos e extremamente fartos.

rothenburg - jantar alter keller-1-9 o famoso joelho de porco
Depois do jantar, na caminhada de volta ao hotel ainda encontramos um bar aberto e bebemos a última cerveja da noite. Tudo fecha muito cedo na cidade amuralhada.


Dia 3 (Quinta, 02/10) – Tour em Rothenburg, noite em Augsburg

Tomamos café da manhã e saímos para explorar a cidade. Começamos subindo a muralha medieval que rodeia a cidade, andamos um pouco por ela vendo a cidade do alto. Depois passeamos pelas ruas do centro, entrando nas lojinhas e fotografando tudo.
rothenburg - muralhas-1 as muralhas da cidade
A loja Käthe Wohlfahrt, a maior loja de artigos natalinos do mundo, é incrível. Olhando apenas a fachada não dá pra imaginar a quantidade de produtos natalinos no interior da loja. São três pavimentos decorados com motivos natalinos, numa beleza que não dá pra descrever. Infelizmente não é permitido fotografar no interior. São árvores de natal, enfeites, presépios, Papais Noel, luzes… Difícil controlar a vontade de comprar tudo. Mas os preços não são camaradas.

rothenburg - centro-1-62 Acho que esse é o carrinho do Papai Noel
Outros passeios imperdíveis: ir à MarktPlatz, praça principal da cidade, onde estão o prédio da prefeitura e a torre da igreja. Custa $ 6 para subir os 220 degraus e ter uma vista panorâmica lá de cima. Como em toda cidade medieval, as atrações são os prédios das igrejas. A Igreja St. James (Jacobskirsche) foi construída em 1485 e tem um altar muito bonito chamado Holly Blood. Custa $ 2 para entrar. A Igreja Franciscana, de 1309, é conhecida por sua excelente acústica. Não paga para entrar.

rothenburg - centro-1-22 rothenburg - centro-1-39
Os cenários em Rothenburg são tão bonitos que tinha noiva japonesa fazendo book
rothenburg - centro-1-51 casas em estilo enxaimel são a regra por lá
rothenburg - centro-1-17 Praça principal da cidade
IMG_5865 esses docinhos estão em toda parte, vale a pena experimentar
O cartão postal de Rothenburg é o Plönlein, uma bifurcação com uma linda casa em estilo enxaimel. Walt Disney inspirou-se nessa parte da cidade para fazer os cenários do filme Pinóquio, de 1940.

rothenburg - centro-1-96 a foto do Plönlein teria ficado melhor se não tivesse tanta gente na rua 🙁
Saímos de Rothenburg por volta das 15h e pegamos a rota romântica para chegar a Augsburg. No trajeto passamos por lindos cenários rurais e pequenas cidades medievais, como Dinkelsbühl e Nördlingen.

rota romântica-1-20 cenários rurais da Rota Romântica
Chegamos em Augsburg no fim da tarde. Passamos uma meia hora no hotel e saímos para o centro da cidade. Foram apenas 900m de caminhada até chegar à praça principal onde estão localizados os cartões postais da cidade: o Prédio da Prefeitura e a Torre Perlach.

augsburg - ratzkeller-1-10
Jantamos no RatzKeller, um excelente restaurante que fica no subsolo da prefeitura. Ambiente descontraído e sempre cheio, é bom fazer reserva. Tivemos que ficar no balcão até vagar uma mesa. Nossa estada em Augsburg resumiu-se a essa noite, porque no dia seguinte partiríamos cedo para a Oktoberfest em Munique.

Dia 4 (Sexta, 03/10) – Chegada em Munique e Oktoberfest

Chegamos em Munique uma hora depois de ter saído de Augsburg. A cidade é imensa mas o GPS nos levou direitinho até o hotel, bem afastado do centro da cidade. Deixamos o carro no estacionamento do hotel e pegamos o metrô para chegar na Oktoberfest.

Descemos na Estação Theresienwiese e já saímos direto na Oktoberfest. O local é um parque de diversões gigantesco, completamente lotado de gente com roupas típicas. Famílias inteiras vão à festa e todos bebem: mulheres, adolescentes, adultos e idosos.

munique - oktoberfest-1-31
São seis imensos galpões com as principais cervejarias da cidade, além de outras tendas menores de outras cervejarias. Só quem está sentado pode fazer o pedido. Cada taça vem com um litro de cerveja e custa 10 euros. O pagamento é feito na hora, em dinheiro. Além da cerveja há outras bebidas e muitas opções de tira-gosto.

munique - oktoberfest-1-9 como ela consegue carregar tanta caneca de chopp?
É preciso chegar cedo para pegar um lugar. São mesas grandes, coletivas, e tudo é uma grande festa. É comum alguém ficar em pé na mesa para fazer alguma gracinha, sob aplausos de toda a galera.

munique - oktoberfest-1-8 a galera se diverte
Chegamos relativamente cedo na festa, e fomos até o galpão da Hofbraus. Lá dentro não havia mais lugar disponível, então ficamos nas tendas externas da própria cervejaria, que ainda estavam vazias. Tomamos um chopp de 1 litro e quando saímos as mesas já estavam quase todas ocupadas.

munique - oktoberfest-1-10
Continuamos andando pela feira e paramos novamente em outra tenda, desta vez a da Paulaner. Tanto o galpão interno quanto os externos estavam lotados, mas procurando conseguimos ficar numa mesa junto com outro casal. Bebemos nossos chopps de um litro e pedimos dois tira-gostos: um frango com batatas e uma tábua de frios. Os petiscos são tão caros quanto a cerveja: uma coca de 200 ml custou absurdos 4,90 euros; o frango custou 15 euros.

munique - oktoberfest-1-35 nossa tábua de frios estava bonita
Há banheiros (e filas para usá-los) em todo lugar. Dentro das tendas, dos galpões, na área externa…

Nosso último chopp foi numa tenda de uma cervejaria menor, não lembro o nome. Mas a cerveja que pedimos era Paulaner e vinha numa taça de “apenas” 500ml.

munique - oktoberfest-1-58

Depois ainda fomos até o centro da cidade e perambulamos pela região central.

Dia 5 (sábado, 04/10) – City tour em Munique, Dachau e noite em Füssen

Pegamos o metrô para o centro da cidade e descemos na Estação KarlsPlatz. Já na saída do metrô se vê o belíssimo portão medieval Karlstor, que fazia parte da fortaleza medieval. Em frente, na Karlplatz, tem um lindo chafariz. Logo mais à frente três magníficas igrejas: a linda Bürgersaalkirche, pertencente à congregação das Marianas, construída em 1709 e que foi bastante avariada durante a Segunda Guerra; a Igreja jesuíta de St. Michel, construída entre 1583 e 1597; e finalmente a igreja símbolo da cidade de Munique: Igreja de Nossa Senhora (Frauenkirche).

munique - karlstor-1 Portão Karlstor
Essa caminhada é feita pela Avenida Neuhauserstrasse. Fechada para pedestres, é uma das avenidas mais antigas de Munique e abriga uma enorme quantidade de lojas pra todos os gostos e bolsos (Zara, H & M, Mango, FootLocker, C & A, Saturn (eletrônicos), Hirmer (roupas), Hard Rock Café Munique, além de vários cafés e de barraquinhas de rua vendendo comidas típicas, até chegar à MarienPlatz, a famosa praça central da cidade. Mapinhas com as atrações podem ser encontrados no Balcão de Informações Turísticas que existe na praça.

Vale a pena subir na torre da Peterskirsche (igreja de São Pedro) para ver a cidade lá de cima, mas o interior da igreja também é espetacular.

No novo prédio da Prefeitura (Neues Rathaus), uma bela construção gótica do século XIX, a dica é subir a torre e avistar a cidade do alto. O relógio mecânico que fica no alto da torre executa uma dança de bonecos em miniatura todos os dias às 11h, 12h e 17h.

munique - Peterskirsche-1-8 O incrível prédio da prefeitura de Munique
Depois do centro fomos ao Allianz Arena, o estádio do Bayern Munique. Era dia de jogo e estava bem movimentado, com a torcida chegando. Apenas tiramos algumas fotos e voltamos ao hotel. De lá, pegamos o carro e fomos para Dachau, cidade próxima de Munique que abriga um extinto campo de concentração nazista.

dachau-1-29
Foi o passeio mais impactante em nossa viagem pela Alemanha. Dachau foi o primeiro campo de concentração construído pelos nazistas e lá foram executados cerca de 30 mil prisioneiros. No local há um museu onde estão expostos objetos, fotos, vídeos e informações sobre esse triste acontecimento histórico. É possível ver também as dependências onde os presos eram mantidos.

dachau-1-17
Ficamos lá por cerca de uma hora e meia, em meio a reflexões, melancolia e um silêncio ensurdecedor. Apesar da tristeza que emana do lugar, entendo que é um destino importante a ser visitado. A entrada é gratuita.

dachau-1-24
De lá partimos em direção a Füssen. Chegamos ao fim da tarde com um lindo por do sol e uma lua sobre os alpes nos recepcionando. Sinal de que teríamos belos cenários para fotografar.

estrada para fussen-1-5 Por do sol na estrada, na chegada a Füssen
Depois de fazer o check in no hotel, saímos para jantar. Havia uma festa de oktoberfest na pracinha do centro, bem divertida. Ficamos por lá ouvindo a banda, tomando cerveja e comendo petiscos.

noite em fussen-1-8 noite animada em Füssen
Dia 6 (domingo, 05/10) – Castelos em Füssen

Logo cedo fomos fazer o passeio dos castelos de Hohenschwangau e Neuschwanstein. De carro foram meros cinco minutos até lá. A primeira visão é de deslumbramento: dois lindos castelos construídos nos altos dos morros, com os alpes como cenário.

castelos-1-52 Castelo de Hohenschwangau
Para entrar nos castelos é preciso comprar o tour guiado, com horário marcado. É possível comprar com antecedência pelo site ou na hora, no Ticket Center. Não é permitido fotografar dentro dos castelos.

Para subir até o castelo existem três opções: a pé, numa caminhada de cerca de 40 minutos; de charrete (6 euros) ou de ônibus (1,80 euros), que deixa o visitante na parte mais alta da colina, próxima a ponte Marienbrucke, de onde se tem a melhor vista do Castelo de Neuschwanstein.

castelos-1-21 natureza deslumbrante na região dos castelos
castelos-1-14 Castelo de Neuschwanstein, visto da Ponte Marienbrucke
Preferimos subir de ônibus e fizemos somente a parte externa do castelo. Fotos não são permitidas no interior do castelo, por isso preferi fotografar somente o belo cenário externo da região.

castelos-1-42 Ponte Marienbrucke
castelos-1-34entrada do Castelo de Neuschwanstein
Depois, fizemos um city tour pela cidade e fomos até a cidadezinha de Reutte, na Áustria, só pra ter o gostinho de “conhecer” um novo país :).

castelos-1-55 Lago de águas cristalinas em Füssen
Dia 7 (segunda, 06/10) – Chegada em Nuremberg

Saímos de Füssen por volta das 9h e chegamos em Nuremberg pouco depois das 13h. Paramos algumas vezes para abastecer e ir ao banheiro. O interessante é que os banheiros dos postos são pagos. Custa 70 centavos de euro, mas ganha-se um cupom de 0,50 para gastar nas lojas de conveniência dos postos.

Nuremberg nos encantou logo na chegada. O hotel Ibis Nuremberg Hauptbahnhof é super bem localizado, praticamente na entrada da parte murada da cidade antiga e bem próximo da estação central de trem.

Fizemos o check in no hotel, deixamos o carro no estacionamento (R$ 9 euros) e saímos para almoçar e passear pelo centro antigo. Não resistimos a uma banca que vendia a famosa salsicha de Nuremberg e comemos sanduíche de almoço. Uma delícia o sanduíche com 3 salsichas (3 euros).

salsicha de nuremberg-1 Tava bom, viu?
Entramos na cidade amurada pela rua Konigstrasse, a principal via da cidade antiga. Repleta de lojas, bares e restaurantes, a rua é uma das principais atrações da cidade. Seguindo por ela encontra-se logo à frente a Igreja de São Lorenzo (St. Lorenz Church). A construção desta basílica em alto estilo gótico começou entre 1243 e 1315 e foi seriamente danificada na segunda guerra mundial.

nuremberg-1-6 igreja de nuremberg-1 Igreja de São Lorenzo
Em frente à igreja havia uma pequena feira de alimentos. Aliás, por toda a extensão da rua haviam barracas vendendo flores, frutas e artesanatos.

Lojas: a Galeria KaufHof é uma das principais lojas da Alemanha e tem uma unidade gigantesca. É tipo a Macy’s alemã. Uma loja que as meninas gostaram (e compraram muito) foi a Müller, que fica em frente à igreja de São Lorenzo.

feira de nuremberg-1 feirinha de Nuremberg
Continuamos andando pela Konigstrasse em direção ao Kaiserburg Nuremberg. Quando chegamos à ponte havia uma feirinha italiana vendendo doces e outras especialidades da cozinha italizana. Muito boa. Comemos um docinho tão bom, mas tão bom que nem deu tempo de fotografar. Custou 1 euro.

Logo mais à frente encontramos um dos marcos da cidade: a Praça HauptMarkt. Lá estão localizadas a Frauenrkirsche, igreja construída em estilo gótico entre os anos de 1352 e 1362. Em sua torre, o relógio com um desfile de bonecos é uma grande atração (acontece diariamente ao meio-dia); a Der Schoene Brunnen, fonte mais famosa da cidade. Dizem que dá boa sorte para quem tocar e girar seu anel dourado e fazer um pedido. A construção original é de 1.385, mas foi substituída por uma réplica no início do século XX; e a Igreja de São Sebaldo, um dos principais cartões-postais da cidade. Essa igreja foi construída no século XIII e leva o nome do padroeiro da cidade. Parcialmente destruída na Segunda Guerra Mundial, até hoje está em reconstrução.

nuremberg - fonte Der Schoene Brunnen-1-7 nuremberg - Frauenrkirsche-1 A reluzente fonte Schoene Brunnen e a Frauenkirsche
Subindo mais um pouco chegamos à Kaiserburg Nuremberg: o Castelo Imperial fica num ponto mais alto, de onde se tem uma bela vista da cidade. Na realidade são três castelos medievais, com suas imponentes muralhas. A construção data de 1.050.

Kaiserburg Nuremberg-1-8
Kaiserburg Nuremberg-1-5 Kaiserburg Nuremberg-1-9
Depois voltamos ao centro, andamos mais um pouco pelo pujante comércio de Nuremberg e voltamos ao hotel para descansar. Saímos à noite para jantar e escolhemos um restaurante localizado logo na entrada da cidade amurada, numa pequena vila de artesãos chamada Handwerkerhof Nürberg. O lugar é muito bonito e resolvemos entrar no restaurante Bratwurstglöcklein im Handwerkerhof. O atendimento não foi bom, então pedimos apenas um chopp (Tucher, de trigo) e uma porção de salsichas de Nuremberg com salada de batatas.

Bratwurstglöcklein im Handwerkerhof-9 as famosas (e deliciosas) salsichas de Nuremberg
Saímos e fomos andar um pouco pelo centro da cidade, procurando um lugar para jantar. Resolvemos ficar no Ristorante Cusina Italiana. Comemos uma pizza de parma e as meninas pediram uma massa, cada uma. No fim da noite ainda paramos no Restaurante Pillhofer Paulaner e tomamos o último chopp da noite. Acompanhado de meia dúzia de salsichas de Nuremberg com chucrute, of course.

Dia 8 (terça, 07/10) – Chegada em Frankfurt

Chegamos em Frankfurt antes do meio-dia, deixamos o carro no estacionamento do hotel e pegamos o metrô para o centro da cidade. O bilhete para cinco pessoas custou 9,80.

A chuva atrapalhou um pouco nosso passeio, que se resumiu a caminhar pela Rua Zeil e fazer algumas compras. Almoçamos na Galeria My Zeil, que tem uma arquitetura magnífica com um espiral de vidros que vai do chão até o último andar. São várias lojas, com destaque para a Saturn, uma das principais lojas de eletrônicos da Alemanha. Estranhamente, não aceita cartões visa ou mastercard.

rua Zeil-15 A bela arquitetura da Galeria My Zeil
A chuva deu uma pequena trégua e caminhamos em direção ao centro antigo de Frankfurt. Ali próximo se encontra a Igreja de São Paulo, a Paulskirche. Uma quadra mais adiante está o Römerberg, o cartão postal de Frankfurt, com suas construções em estilo medieval. Ali estão a Rathaus, sede da prefeitura; a fonte da justiça (Gerechtigkeitsbrunnen), construída em 1543; a Nikolaikirche e outras construções.

rommer-1-6 Rommerberg e suas casinhas em estilo enxaimel
Voltamos à rua Zeil, pegamos o metrô de volta ao hotel e passamos nossa última noite na Alemanha no restaurante do hotel.

Dia 9 (Quarta, 08/10) – Despedida

Como tínhamos tempo de sobra até o nosso voo, que era somente às 22h, aproveitamos a manhã para fazer nosso último passeio pelo centro de Frankfurt. A ideia era conhecer a Main Tower, a sede do Banco Mundial e seguir até a margem do Rio Main para ver a Eiserner Steg, ponte de ferro para pedestres construída em 1869 e de onde se pode tirar as melhores fotos de Frankfurt com os prédios ao fundo.

Mais uma vez a chuva atrapalhou nossa caminhada e, como as meninas ainda queriam fazer umas últimas comprinhas, retornamos à Rua Zeil e ficamos perambulando pelo centro antigo.

Fomos para o aeroporto com bastante antecedência, pois ainda teríamos que providenciar nosso reembolso de imposto das compras feitas com Tax Free. Mas isso já é assunto para outro post.

8 Responses

  1. Ana Karênina
    Ana Karênina at |

    Gostei muito da matéria sobre a Alemanha, meu próximo destino. Suas dicas me auxiliaram no roteiro.

    Reply
  2. Luis Henrique
    Luis Henrique at |

    Parabéns, Márcio!
    Excelente post.

    Reply
  3. Danilo Vasconcelos
    Danilo Vasconcelos at |

    Fala Márcio !!!!
    Estou planejando minha viagem a Munique em especial para o Oktoberfest em Outubro de 2017, porém ja venho acompanhando alguns blogs e sites com informaçoes sobre a cidade e tudo mais . Vou com minha namorada, somos marinheiros de primeira viagem, nunca fomos para o exterior, Pretendo ficar 12 dias em Munique, mas gostaria de conhecer outras cidades também..

    Me da umas dicas de como me programar pra poder conhecer por exemplo Augsburg ..
    Vi que voce ficou alguns dias em várias cidades e hoteis diferentes ..

    como me planejo pra poder fazer esses passeios todos ?

    Obrigado desde já irmão , um abraço .

    Reply
  4. Victor
    Victor at |

    Olá, bom dia. Achei suas dicas excelentes e serão valiosíssimas para minha trip em set/out. Faremos exatamente o mesmo percurso, saindo de Frankfurt. Contudo, fiquei apenas receoso quanto a Munique nesta época de Oktoberfest (a gente nem bebe cerveja rsrs). Queria saber de vcs: Como estava a cidade? Os monumentos e museus visitados estavam mto cheios? Muita desordem? Valeu a pena? Muiiiito obrigado pela ajuda. Um abraço, Victor

    Reply
  5. Daniel Lutfi
    Daniel Lutfi at |

    Olá, gostei muito do roteiro e das dicas. Estou planejando ir pra Alemanha em setembro desse ano. Queria fazer essa rota romântica da Alemanha e conhecer essas cidades menores. Mas não dirijo. Na verdade deixei de dirigir faz tempo, minha carteira está vencida há muitos anos. Tem como fazer sem carro? Ônibus? Excursão? Um abraço.

    Reply
  6. Deisi
    Deisi at |

    Bom dia, Faremos a Rota Romântica ao contrário, Sairemos de Heidelberg em direção a Fussen e dalí vamos a Munique, onde ficaremos 2 dias e depois em direção a Wurtzburgo. Gostaria da sua opinião de qual a melhor forma de aproveitar o máximo da Rota Romantica entre Munique e Wurzburgo?

    Reply

Leave a Reply