Punta del Este – informações gerais

Distante apenas 130 km da capital Montevidéu, Punta del Este é o balneário mais charmoso da América do Sul. Reduto de ricos e famosos, é conhecida pela beleza de suas praias, pelos eventos na cidade, pelo por do sol e pelas notórias baladas.

Por do sol em Punta del Este

O melhor período para visitar a cidade é no verão. Milhares de turistas endinheirados lotam o balneário em busca de diversão e descanso. Exatamente por isso, Punta del Este é um destino caro. Hospedagem, gastronomia, passeios e até mesmo o preço do aluguel de cadeira de praia é de chocar nossos parcos bolsos brasileiros.
Na Playa Mansa o aluguel de três cadeiras e uma sombrinha saía por R$ 130,00!!!
Fora do período de verão os preços ficam mais atraentes, com boas promoções de hospedagem até mesmo no famoso Conrad Cassino, palco de muitas festas e reportagens do Amaury Junior. Mas dizem que Punta, fora da estação, é fria e sem graça. A água do mar, mesmo no verão, é gelada. Imagino no inverno. Brrrr!

Não é só gente rica que frequenta Punta del Este

Nossa viagem a Punta del Este aconteceu poucos dias antes do carnaval de 2012. Passamos 4 dias na cidade, da quarta até o sábado de carnaval. A cidade estava cheia, mas sem engarrafamentos nem filas nos restaurantes. Pelo menos nos horários em que a gente os frequentava. Afinal, fui com minha esposa e filha e não somos baladeiros. Acho que a noite deles começava quando já estávamos terminando a nossa.
Escultura “Los Dedos”, na Playa Brava
Punta não é uma cidade grande, mas é essencial que você esteja de carro para conhecê-la. As praias são distantes e ficar dependendo de ônibus ou gastar dinheiro com táxi não me parecem boas opções. O centro – que não fica no centro, mas na “ponta” – é chamado de Península. É lá que se encontra a maioria dos bares, restaurantes e hotéis. Do lado direito da península, banhada pelo Rio da Prata, estão a Playa Mansa e Punta Ballena, entre outras. Do lado esquerdo, banhado pelo oceano atlântico, destacam-se a Playa Brava, La Barra e José Ignacio.

(foto da internet)

A cidade oferece muitas opções de bares e restaurantes, mas vá se preparando para deixar uma boa grana em terras uruguaias. Não deixe de beber o Clericot (bebida feita à base de vinho com frutas), provar os sorvetes do Freddo e comer pelo menos um chivitto, delicioso sanduíche (às vezes sem pão) de carne, queijo, bacon, batatas fritas… hummm.

Chivitto da Marco Chivitteria

Para curtir o por do sol (que se põe depois das 20h!) uma boa pedida é o bar Virazon, na Península. Além da vista espetacular, há música ao vivo, boas opções de tiragosto e o melhor Clericot da cidade. Ah, e ainda tem 25% de desconto pra quem paga com cartão Itaucard.

Clericot, bebida típica de Punta del Este

Para curtir uma visão panorâmica da cidade, nada melhor que subir ao 22º andar do Edifício La Vista, em Playa Mansa, e tomar um drink no restaurante giratório vendo Punta a seus pés. A entrada custa U$ 6,00 (seis dólares), mas vale cada centavo!

vista da Playa Brava, do alto da La Vista
Um dos marcos da cidade é a CasaPueblo, um hotel-museu-escultura-galeria-obra de arte que fica em Punta Ballena. Antiga casa de veraneio do poeta Carlos Villaró, dizem que foi lá que Vinícius de Morais ganhou inspiração para compor os versos de “Era uma casa muito engraçada, não tinha teto não tinha nada…”. Imperdível.

Outro cartão postal da cidade é a bela ponte ondulada que fica em La Barra. Dá um friozinho na barriga quando a atravessamos com um pouco mais de velocidade. Confesso que passei várias vezes sobre ela só por diversão 🙂

 Ponte ondulada: brincadeira de engenharia

A Praia de José Ignacio fica um pouco distante, a cerca de 40 km da Península, mas vale a pena a visita. Ideal para fugir da agitação das praias “urbanas” e aproveitar a beleza de uma praia mais rústica. A pedida é comer no restaurante La Huella (faça reserva antes ou chegue beem cedo) e conhecer o Farol Jose Ignacio. Gostei muito dessa praia.

Nicole e o Farol José Ignacio, em foto “instagrameada”

Para quem cansou de praia, há outras opções legais para a criançada: na Fazenda Lapataia os pequenos se divertem fazendo arborismo, brincando no play kids, passeando de pônei e charrete e no final ainda amamentam os carneirinhos; o Museu do Mar é pequeno, mas tem um acervo interessante sobre a vida marinha e a Punta del Este do início do século XX.

Nicole e os banhistas dos anos 1920 no Museu do Mar
O Porto de Punta del Este é outra atração à parte. Há bons restaurantes, uma feira de frutos do mar e muita paisagem pra fotografia, mas são os leões marinhos que fazem a festa dos que visitam o Porto. Lá, eles chegam aos montes esperando que os pescadores os alimentem com alguns peixes.
Bom, esse é um pequeno resumo sobre essa maravilhosa cidade uruguaia. Aos poucos falarei mais detalhadamente sobre cada uma das atrações.

3 Responses

  1. Gustavo Belli
    Gustavo Belli at |

    Oi Márcio,

    Punta é show, um destino de verão com uma infra que poucos lugares do litoral brasileiro possui.
    José Inácio tb está entre as minhas prediletas.
    Abraço!!
    @GusBelli

    Reply
  2. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    Verdade, Gustavo Belli. Gostei muito de Punta, e Jose Ignacio foi uma dica sua que eu agradeço imensamente 😀

    Reply
  3. caubi couto
    caubi couto at |

    baaahh,mas cara, da onde você tirou essas informações ? eu vou todos os anos a punta ,e os preços que tu falaste estão só na tua imaginação,e não é para gente indinheirada nada, ( eu não sou ) passo todo o mês de janeiro , fazendo tudo que gosto junto com minha esposa ,e acredito que n~~ao é assim como tu diz, mas tá , cada um com a sua… um abraço.

    Reply

Leave a Reply to marcioraimundo Cancel Reply