Curaçao – Dicas básicas

Curaçao é a maior ilha caribenha entre as ilhas ABC, que englobam Aruba, Bonaire e Curaçao. A ilha fazia parte das Antilhas Holandesas até 2010, quando foi dissolvida e se tornou país autônomo. A capital é Willemstad, e a população gira em torno de 175 mil habitantes. Para se ter uma idéia, Curaçao é praticamente do tamanho de Florianópolis.
O centro da capital é tombado pelo patrimônio histórico e um de seus cartões postais é a Queen Emma Bridge, uma ponte móvel que liga as duas partes da cidade, Punda e Otrobanda, cortadas pela Baía de Santa Ana.

Acima, Otrobanda; abaixo, Punda. E a Ponte Queen Emma interligando as duas partes

A língua mais falada entre os nativos é o papiamento, uma língua crioula que se originou do português dos escravos africanos trazidos de Guiné Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e até do nordeste brasileiro. É uma mistura de português, espanhol e holandês, é super divertido tentar entender os cartazes nas ruas. Mas a maioria dos nativos fala também o espanhol, o inglês e o holandês. Ou seja, a língua fica à escolha do freguês.

A placa na Queen Emma Bridge traz os quatro idiomas

A rede hoteleira se concentra no Centro, na Baía de Piscadera (achei a melhor localização) e nas praias de Sea Aquarium. Há outros hotéis em praias mais distantes, mas não acho que valha a pena a hospedagem.
O Hilton Curaçao é “pé na areia” mesmo. Recomendo!
A economia do país se baseia no turismo e no refino de petróleo. Passeando pela ilha é possível ver grandes barcos petroleiros que chegam com o petróleo da Venezuela para refino na ilha.
O aeroporto é pequeno, a área de check in, no térreo,  parece uma rodoviária. Não tem sequer ar condicionado (indispensável naquele calorão). Mas a área de embarque, no primeiro andar, é refrigerada, com um bom free shop, algumas lojas, bares, pontos de internet paga e o mais importante: wi fi gratuito e de qualidade!

Free Shop do aeroporto

Apesar de não ser um destino de compras, Curaçao tem preços bem melhores que o Brasil (novidade!), exceto no quesito gastronomia, em que os preços são um pouco mais salgados e a comida deixa um pouco a desejar.
Penha, a loja mais famosa de Curaçao, tem ótimos preços de perfumes

As praias, o grande atrativo da ilha, são divinas. Todas com aquelas belas tonalidades de azul, convidando para um mergulho. A água é um pouco fria, mas muito transparente e os peixinhos já podem ser vistos mesmo no raso. Algumas praias são privadas e é preciso pagar pra entrar.

No raso já é possível encontrar vários peixinhos

O sistema de transporte é deficiente. Há poucos ônibus e táxis na ilha e, como as distâncias para as praias são grandes, o carro se torna indispensável. Não há engarrafamentos, apesar de nenhuma das poucas estradas para as praias ser duplicada.
Passear pelo centro da cidade, observando a ponte móvel Queen Emma se abrindo para a passagem das embarcações, é um dos grandes baratos. Dá pra ficar uma tarde inteira por ali vendo o colorido das casas de arquitetura holandesa e a linda paisagem de Punda e Otrobanda.

Algumas dicas do que fazer na ilha:
1) Alugue um carro. É indispensável. São muitas praias, a maioria bem distante, e em direções opostas. Nem pense em ir a Curaçao pra curtir apenas o hotel. É possível alugar diretamente nos guichês das locadoras no aeroporto ou na maioria dos resorts, mas reserve logo no Brasil. É mais barato e não se corre o risco de ficar sem carro.

Nosso carro era pequenino mas até que era confortável

2) Hospede-se num resort com prainha particular. Os melhores estão na Baía de Piscadera. Naqueles dias em que bate a preguiça, a praia do hotel atende muito bem as necessidades. Na do Hilton dá pra fazer snorkel, aula de mergulho, aluguel de equipamentos, além de curtir as piscinas com borda infinita para o oceano. 
Vista da varanda do apartamento no Hilton
3) Passeie sem pressa pelo centro. Estacione o carro em Otrobanda e atravesse a Queen Emma Bridge até Punda, no outro lado. Curta a paisagem tomando algo no Cafe Iguana. Ande pelo calçadão, visite as lojas, compre perfumes na Penha e visite o Mercado.

Café Iguana, obrigatória a visita!

4) Nade com os golfinhos na Academia de Golfinhos. Foi o ponto alto da nossa viagem. Depois, conheça a praia privada de Sea Aquarium, ao lado.
Nado com os golfinhos: sem palavras pra descrever

5) Compre snorkel e pé de pato no primeiro dia de viagem. Faça snorkel na praia do hotel, nas praias públicas, nas praias privadas e veja, em cada uma delas, a diversidade e o colorido dos peixinhos.

 Snorkando” na praia Kenepa Grandi
6) Mergulhe. Eu não mergulhei, mas essa é outra dica imperdível. Há inúmeros pontos de mergulho em Curaçao. Um dos melhores preços está na praia mais bonita de Curação, a Cas Abao.

7) Tire algumas noites pra jantar, beber e petiscar num dos bares/restaurantes do Rif Fort. É bem animado por lá.

8) Visite as praias públicas de Kenepa Chica e Kenepa Grandi, no oeste da ilha. Leve sua bolsa térmica, encha de cerveja e curta bastante.
9) Das praias privadas, as mais bonitas são Cas Abao e Port Marie. Dá pra fazer as duas num único dia, já que ambas estão também no oeste da ilha. Embora não seja permitido levar alimentos e bebidas, vi muita gente fazendo isso. Mas não se preocupe: a estrutura de bar é ótima!

10) Vá à praia de Jan Thiel. Tem a melhor estrutura de bares e restaurantes de Curaçao, embora a praia não seja tão bonita quanto as outras.

Vista da piscina e estrutura do Papagaios Bar, em Jan Thiel
Essas dicas são superficiais, apenas para o leitor ir se acostumando com tudo que Curaçao pode oferecer. Nos próximos posts falarei mais detalhadamente sobre as praias, o hotel em que fiquei hospedado, os passeios e as compras desse pedacinho especial do Caribe.
Até o próximo post!

21 Responses

  1. Anonymous
    Anonymous at |

    Que surpesa boa que a Raquel me fez com a indicação de seu blog, Marcio. Parabéns pela inciativa, pelas dicas e pelo espírito aventureiro!
    Marcia A.

    Reply
  2. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    Obrigado, Márcia. Que bom que você gostou, espero que volte sempre 🙂

    Reply
  3. Anonymous
    Anonymous at |

    setou indo agora em Agosto de 05/08 a 12/08, vamos ficar no Reinassence, pois estamos indo com nossa filha de 5 anos e achei melhor um local com mais opçoes de restaurantes, pois depois de um dia de praia, não vamos precisar mais pegar caaro para sair para jantarmos, até mesmo porque me parece que em Curaçao após as 22:00hs tem toque de recolher, aproveitei suas dicas, parabens, espero me surprender!!!

    Fernada

    Reply
  4. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    Tenho certeza que você vai adorar, Fernanda. O Renaissance foi uma ótima escolha, é a melhor localização com o conforto de um resort.
    Aproveite bem. Se precisar de alguma dica, pode perguntar por aqui.
    Boa viagem!

    Reply
  5. Anonymous
    Anonymous at |

    você levou os dolares em especie ou abasteceu um VTM???ou usou só o cartão de credito??
    tem uma media do que gastou por pessoa em alimentação??

    Fernanda

    Reply
  6. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    Oi, Fernanda. Levei dólares e também usei cartão de crédito. O preço da alimentação é similar ao Brasil, mas obviamente vai variar de acordo com o perfil do turista. Eu gosto de fazer pelo menos uma boa refeição durante o dia, em restaurantes melhores e, consequentemente, mais caros. Mas acho que, na média, dá pra se virar com 50 dólares por dia.

    Reply
  7. Unknown
    Unknown at |

    Olá Márcio!

    Ótimas dicas no seu blog. Provavelmente eu e minha esposa vamos para Curaçao em outubro/novembro de 2013 e estamos devorando os posts do seu blog, hehehe.

    Uma pergunta: quanto custou o aluguel do carro e quanto foi gasto de gasolina?

    Achei alguns lugares para ficar tipo “Bed and Breakfast”, parece mais um studio/apartamento e achei bastante econômico e bonito para mim e minha esposa, você chegou a verificar estes?

    Também temos um blog onde falamos das nossas viagens (http://alfadicasviagens.wordpress.com), se puder dar uma passadinha lá!

    Abraço,
    Fábio Wagner

    Reply
  8. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    Oi, Fábio.

    Tenho certeza que vocês irão adorar Curaçao, eu sinto muitas saudades de lá e pretendo retornar um dia.

    O aluguel do carro custou pouco menos de U$ 200,00 por todo o período (oito dias), em carro econômico (e minúsculo). Como eu usei o cartão Platinum, dispensei alguns seguros. Não lembro o preço da gasolina, mas acho que gastei uns U$ 50,00 pra encher o tanque. Por falar nisso, nem sempre o carro é entregue com o tanque cheio.

    Em relação à hospedagem só olhei alguns hotéis, porque decidi viajar muito encima da hora. Veja se a localização é boa, eu particularmente prefiro estar na “areia da praia”.

    Vou dar uma olhada no seu blog. Obrigado pela visita e volte sempre 

    Abraço,

    Márcio

    Reply
  9. Unknown
    Unknown at |

    Boa tarde Márcio,

    Fiz algumas perguntas para você em abril, e cá estou eu novamente.

    No primeiro post da viagem você fala que oito dias é pouco para conhecer Curaçao. Não encontrei no seu blog um roteiro de todos os lugares que vocês visitaram, poderia me dizer o que você fez nestes oito dias para você considerar que a quantidade de dias é insuficiente para conhecer a ilha?

    Deste já agradeço,
    Fábio Wagner

    Reply
  10. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    Oi, Fábio.

    Meus oito dias foram divididos da seguinte forma:
    Dia 1) Cheguei em Curaçao depois das 18h, fiquei a noite no hotel;
    Dia 2) Aproveitei as praias, piscinas e comodidades do hotel;
    Dia 3) Passei o dia andando pelo centro (Punda e Otrobanda), aproveitei pra fazer umas compras no supermercado e deixar no frigobar do hotel;
    Dia 4) Seaquarium e praia de Mambo Beach;
    Dia 5) Praias do oeste: kenepa chica, kenepa grandi, port marie e cas abao
    dia 6) praia do leste: Jan Thiel
    Dia 7) Cavernas Hato e centro da cidade;
    Dia 8) check out no hotel,cerveja no Iguana Cafe pra passar o tempo até chegar a hora de ir para o aeroporto.
    O legal de Curaçao é que há outras atividades além das praias. E digo que oito dias é pouco porque praia cansa bastante e pra quem quer mergulhar o tempo acaba ficando escasso mesmo.
    Boa viagem!

    Reply
  11. lais
    lais at |

    boa tarde Marcio!
    vi o seu post noviaje na viagem…tenho umas dúvidas
    vou ficar 7 dias em curaçao…o primeiro dia chego apos 16:00 e o sétimo volto ao brasil….ou seja tenho 5 dias…e queria saber sua opinião…….vou me hospedar no Hilton….queria saber se em 1 dia da para conhecer KENEPA,CAOS E PORTMARIE…você disse que a melhor para ficar é CAOSABAO…gostaria de saber a ordem delas ….nos outros dias quero ir até seaquarium,e conhecer o centro,tipo fazer um city tour…você acha que devo fazer esse “city tour” no primeiro dia?assim já faço umas coimprar e aproveito para pegar algumas coisas no mercado também,já que o hilton émeio carinho?
    tem algum email para contato?facebook?

    abs

    Reply
  12. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    Laís,

    Eu também me hospedei no Hilton, mas tive mais dias de viagem. Aproveitei o primeiro dia no hotel e o segundo na cidade. Só no terceiro é que comecei a ir para as praias.
    Acho que você deve, sim, começar pelo centro. Há muito o que se ver por lá, e você pode aproveitar para fazer algumas compras de artigos que você vai utilizar na praia, caso ainda não tenha. Snorkel e câmera submarina, por exemplo. Além disso, pode passar no supermercado e comprar alimentos pra abastecer seu frigobar.
    Em um dia você pode conhecer as praias do oeste (Cas Abao, Porto Mari, Kenepa Chika e Kenepa Grandi), mas o ideal é sair cedo, porque elas são distantes. O ideal mesmo seria reservar dois dias para elas.
    Reserve outro dia para o leste (Seaquarium, Mambo Beach e Jan Thiel).
    Estou no twitter (marcioraimundo) e no facebook (Márcio Raimundo). Se preferir falar por e-mail, marcioraimundo@hotmail.com

    Reply
  13. Anonymous
    Anonymous at |

    Marcio, muito bom os comentários a respeito do nado com os golfinhos e as praias. Ficarei hospedado em outubro no Renaissance. Teria alguma dica para os passeios pós praia e a respeito da ilha de Klein ? Abraço e continue escrevendo.

    Reply
  14. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    Não fiz o passeio a Klein Island, mas antes de viajar li muitos bons relatos sobre esse passeio.

    À noite, o lugar onde vi mais animação foi nos bares e restaurantes do Fort Riff, ao lado do seu hotel.

    boa viagem!

    Reply
  15. Igor
    Igor at |

    Olá Marcio! Muito bom seus posts…

    Gostaria de saber se vc conhece algo a respeito do sunscape resort em Curaçao, esgarei hospedado lá durante minha lua de mel em agosto deste ano.

    Abraço!

    Reply
  16. João Alberto Franco
    João Alberto Franco at |

    Márcio, vc chegou a ver o resort sunscape? Vou ficar lá agira de 16 a 23 de agosto. Queria saber se e lindo mesmo como no site…rs… Ah! Carro alugado e indispensável né? Grato. Abraço. João Alberto.

    Reply
  17. João Alberto Franco
    João Alberto Franco at |

    Esqueci de marcar pra receber resposta no gmail… Rs…

    Reply
  18. Claudia
    Claudia at |

    Olá Marcio, adorei o blog!

    Eu vou para Curaçao em dezembro e gostaria de saber sobre aluguel de carros.
    Onde você alugou o seu?
    Não queria deixar para alugar la.

    Obrigada!

    Reply
  19. João Alberto Franco
    João Alberto Franco at |

    Prezada Claudia: estou indo hoje e fiz reserva na Alamo (alamo.com. Foi o melhor preço que encontrei à distância (on line). 7 diárias por 222,61 dólares, num compacto automático c/ ar. Volto dia 25, 2ª. Dou notícias sobre a locação na volta. Abraços a todos (as)!

    Reply
  20. marcioraimundo
    marcioraimundo at |

    João Alberto,

    Obrigado pela resposta. Respondendo à sua pergunta anterior, não cheguei a ver o Sunscape.

    Cláudia, também aluguei pela Alamo (sempre faço as cotações pelo http://www.expedia.com). O aluguel do carro custou pouco menos de U$ 200,00 por todo o período (oito dias), em carro econômico (e minúsculo). Como eu usei o cartão Platinum, dispensei alguns seguros e consegui economizar um pouco mais.

    Reply
  21. João Alberto Franco
    João Alberto Franco at |

    Valeu, Marcio! Abraço.

    Reply

Leave a Reply