Bienal de SP, uma viagem ao mundo dos livros

bienal sabado-1-3

Terminou a 23ª Bienal do Livro de São Paulo, que ocorreu entre os dias 22 e 31 de agosto no Pavilhão do Anhembi na capital paulista. Pela primeira vez tivemos a oportunidade de participar desse evento que reuniu mais de 480 expositores e as principais editoras e livrarias do Brasil.


bienal sabado-1-34 Estande da Livraria Saraiva
Entre os autores presentes, nomes como Maurício de Souza, Ziraldo, Padre Zezinho, Thalita Rebouças, André Vianco, Pedro Bandeira, Laurentino Gomes, Affonso Solano, Eduardo Spohr, Carolina Munhóz e Raphael Draccon, dentre tantos outros.

 bienal sabado-1-2 Padre Zezinho no Estande da Editoras Paulinas
bienal sabado-1 Thalita Rebouças no estande da Editora Rocco
Entre os autores internacionais destacaram-se Harlan Coben (“Confie em Mim”), Ken Follet (“Os Pilares da Terra”), Sally Gardner (“Coriandra”), Kiera Cass (“A Seleção”), Hugh Howey (“Silo”), Cassandra Clare (“Os Instrumentos Mortais”) e Sylvia Day (“Toda Sua”).


bienal sabado-1-5
Visitamos a Bienal no final de semana de encerramento, que coincidiu com o aniversário da minha filha Nicole. Foi o presente de aniversário para essa fã de literatura de fantasia e aventura, que estava ansiosa para conhecer o escritor Raphael Draccon, autor da trilogia “Dragões de Éter”. Na Bienal o escritor estava lançando seu novo livro “Cemitérios de Dragões”.


bienal sabado-1-6
A Bienal de São Paulo é certamente o evento de literatura mais popular do Brasil, e pudemos sentir isso quando chegamos lá no sábado à tarde. Tinha tanta gente na fila que imaginamos que não conseguiríamos entrar. Por sorte (e precaução) eu já havia comprado os ingressos pela internet e não precisei enfrentar aquela fila quilométrica.


bienal sabado-1-8 Mesmo no meio de tanta gente a Nicole era só sorrisos
Nosso maior compromisso no sábado era pegar o autógrafo do Raphael Draccon, no estande da Editora Rocco. Ficamos quase 3 horas e meia na fila, minha coluna quase “travou”, mas ver a emoção da Nicole ao abraçar o autor e pegar autógrafos nos três livros pagou todo o sofrimento. De quebra, ela ainda conseguiu autografar o livro “O reino das vozes que não se calam” e tirar fotos com a escritora Carolina Munhoz.


bienal sabado-1-9 bienal sabado-1-10 Raphael Draccon foi muito atencioso com a Nicole
bienal sabado-1-22recebendo o carinho do escritor
bienal sabado-1-21 A pose oficial com os personagens do livro
bienal sabado-1-30 no mesmo estande, o autógrafo da Carolina Munhoz…
bienal sabado-1-27 …casada com o Raphael Draccon.
No domingo, chegamos cedo à Bienal. Dessa vez era a minha vez de “tietar” um dos escritores que mais gostei de ler nos últimos tempos: Laurentino Gomes, autor da trilogia “1808”, “1822” e “1889”, que conta a história da vinda da família real ao Brasil, da independência e da queda da monarquia.


bienal sabado-1-35 Ótima palestra do Laurentino Gomes
Laurentino participou de um bate-papo com os leitores, em que respondeu perguntas e falou sobre curiosidades e a importância de estudar a história do Brasil. Logo depois ele autografou a edição revista e atualizada de seu livro “1808”.


foto 1 (1)Eu, Laurentino Gomes e Ziraldo. ZI-RAL-DOO!!!
bienal sabado-1-40 Laurentino Gomes foi uma simpatia só
Fiquei impressionado com a gentiliza, carinho, simpatia e dedicação dos escritores para com os leitores. O Raphael Draccon demorava bastante posando para fotos, conversando e autografando os livros de cada um dos fãs que chegavam. O Laurentino Gomes foi tão simpático que parabenizou a Nicole pelo aniversário e tirou uma foto com seu próprio celular para postar no seu facebook!

Voltamos para casa cheios de livros, muitas fotos, alguns autógrafos e a certeza de que estaremos lá na próxima edição da Bienal.

Leave a Reply